Frase da Semana

"O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons." (M.L.king)

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Professora Sim, Tia Não!

Essa é a questão que gostaríamos de discutir!

Paulo Freire, em Professora Sim, Tia Não, expõe de forma clara as principais razões para as professoras deixarem de ser “tias”: essa visão de uma classe profissional como sendo constituída de parentes das crianças cria a expectativa de que não é preciso uma boa qualificação para fazer o trabalho de ensinar, além de uma visão política passiva e alienada, já que identificar professoras como tias “é quase como proclamar que ‘professoras’, como boas ‘tias’, não devem brigar, não devem rebelar-se, não devem fazer greve”.

Vamos discutir o assunto! 
Poste a sua opinião sobre o tema!

6 comentários:

  1. Magistral a colocação do sábio Paulo Freire.Porém já percebemos que essa visão está se discipando e a classe de professores aprendeu a lutar para mostrar a sociedade que dar aula ñ é sacerdócio,mas sim profissão.E como tal deve ter seus direitos reconhecidos e ser respeitada profissionalmente.

    ResponderExcluir
  2. PROFESSORA NÃO É TIA ! ESSA IDEIA CONFUNDE A NOÇAO DE FAMILIA, POIS TIA É UM LAÇO DE PARENTESCO,É SER CONSAGUINEO. PROFESSOR TEM QUE DAR RESULTADOS PARA O FUTURO E COM ISSO EXIGE UM PRESENTE QUE É UMA DADIVA , UM PRESENTE QUE TENHA COMO LASTRO O COMPROMISSO, A ASSUIDADE, A COMPETENCIA E A CREDIBILIDADE. NÃO SÓ DE PAO VIVE O HOMEM. QUE DEUS PROTEJA O FUTURO DO BRASIL! PALAVRAS COMOVEM MAS O EXEMPLO É QUE ARRASTA!

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  4. Se não tem nada a falar sobre um tema levantado pelo Papa da Educação Paulo Freire era melhor ficar calado.Quanto despreparo e DESESPERO!!SINTESE sim, PAULO FREIRE eternamente,ignorância jamais...

    ResponderExcluir
  5. E por falar em competencia e credibilidade...SOMOS SINTESE.

    ResponderExcluir
  6. Obrigada ao blog Maruim Alerta por colocar para os leitores, não apenas as reivindicações mas REFLEXÕES sobre a luta dos Professores.

    Por muito tempo eu acreditei ser normal que as crianças me chamassem de "tia"... achei que isso poderia fazer as crianças se aproximarem mais do professor, ter mais confiança, etc..

    No entanto, depois de "militar" e conhecer a importância da luta pelos trabalhadores... depois de ver o que o Capitalismo faz, tentando conduzir as pessoas ao individualismo, a concorrência e ao apreço pelo "ter", passei a ver que uma simples palavra tem um significado e uma forte intenção...

    O Professor é um PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO... com todo o direito de se organizar na luta por melhorias salariais e de condições de trabalho...

    Os serviçais do capitalismo... pessoas que vendem a dignidade de que, muitas vezes trabalhadores que não compartilham da luta da classe comportando como se não fossem trabalhadores... constroem discursos para depreciar os trabalhadores que lutam por melhorias para a coletividade...

    A partir daí, eu oriento os meus alunos, de forma fraterna, a me chamar de Professora... ensino que eles são cidadãos e tem direitos e que devem lutar pelos seus direitos, por melhorias para si e para a sociedade.

    Vender a dignidade é o que resta´para quem agarra-se com unhas a dentes a sombra das vantagens imediatas... Quem não tem força, coragem e capacidade para a luta, esconde-se atrás das ameaças, das perseguições e da opressão...

    Felizmente isso tem prazo!
    Todas as máscaras cairão...

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!